Um ano de pandemia de Covid-19

 

Erbs Jr Frame PhotoHá um ano, em uma quarta-feira, 11 de março de 2020, o diretor-geral da Organização Mundial da Saúde  (OMS), Tedros Adhanom, declarou que o que até então era considerada uma epidemia, tinha a força de pandemia.

No mesmo dia o Hospital Universitário Clementino Fraga Filho (HUCFF/UFRJ) notificou o primeiro caso suspeito e, então, formou-se o Gabinete de Crise - composto por representantes de importantes áreas do HUCFF - que passou a direcionar as ações envolvendo a produção de informações, a partir dos dados clínicos e administrativos, analisando informações, produzindo relatórios e coordenando futuras ações. Novos protocolos e medidas foram criados ao longo do ano e da pandemia, com a finalidade de manter o atendimento e a rotina no HUCFF.

Os últimos dados, neste 11 de março de 2021, um ano depois da declaração de pandemia pela OMS, indicam quase 120 milhões de pessoas infectadas pelo vírus e mais de 2,6 milhões de mortes.

No HUCFF - um dos hospitais com a maior taxa de sobrevida neste atual cenário - são 1563 casos notificados/suspeitos até o momento.

Ainda temos muitos desafios. A perspectiva muda todos os dias. Mas vamos juntos colher os frutos deste legado. Agradeço a todos que compõem esta Unidade e fazem o HUCFF ser cada dia melhor. Que continuemos fazendo a diferença", , diretor-geral do HUCFF, professor Marcos Freire.GT Crise Covid HUCFF

 

Bons números de atendimentos e avanços estruturais

Por ser referência em média e alta complexidade, dada a capacitação do seu corpo clínico, o Hospital Universitário Clementino Fraga Filho (HUCFF/UFRJ) se preparou, antecipadamente, para receber pacientes graves durante a pandemia. Dos diferenciais da linha de frente no combate ao Coronavírus, destaca-se o fato desta ser a única unidade com sala de cirurgia em CTI COVID. Atualmente são 54 leitos habilitados para COVID - 32 leitos de CTI e 22 leitos de Enfermaria -.

Esta possibilidade de maior oferta de leitos COVID se deve à fundamental integração entre o HUCFF e as esferas federal, estadual e municipal, que vem sendo conquistada pela atual gestão.

A Prefeitura do Rio tem mantido os contratos atuais dos profissionais que já estão atuando no HUCFF desde o começo da pandemia. E o Ministério da Saúde (MS) destinou meios para a contratação de recursos humanos, através da Fiotec - Fundação de apoio à Fiocruz -, para a reativação de leitos no HUCFF. Novos leitos são habilitados à medida que estes profissionais são admitidos na Unidade.

Com recursos humanos adequados e equipamentos, o HUCFF tem capacidade para chegar a 80 leitos Covid.

O HUCFF mantém sua rotina de cirurgias eletivas, bem como a de atendimentos ambulatoriais. Realiza, em média, 25 cirurgias por dia e 800 consultas.

 

Retomada de transplantes e maior oferta de exames de diagnósticos

O HUCFF voltou a realizar cirurgias de transplante renal intervivos (com doador vivo), que estavam suspensas devido às medidas de biossegurança impostas para evitar a disseminação do novo coronavírus. O procedimento foi realizado na quinta-feira, 11/3.

"Este é um passo importante para reativarmos os demais transplantes e tornarmos o HUCFF hospital de ponta em transplante no Rio. Parabenizo todo o grupo da Nefrologia, Cirurgia Vascular, Urologia, Anestesia e Coordenação de Transplantes", afirmou Alberto Chebabo, diretor da Divisão Médica (DMD) do HUCFF.

O Serviço de Radiodiagnóstico do Hospital Universitário Clementino Fraga Filho (HUCFF/UFRJ) concluiu a instalação, nesta semana, de um novo aparelho de Ressonância Magnética permitindo, com isso, a possibilidade de até dobrar a capacidade de diagnóstico de alta complexidade. A previsão é que possam ser realizados entre 350 e 450 exames por mês, dependendo da complexidade dos exames.

 

Aquisição faz parte dos investimentos para a modernização do Parque Tecnológico

Hoje o HUCFF possui em seu Parque Tecnológico, sob os cuidados do Serviço de Engenharia Biomédica (SEB): 2 Ressonâncias Magnéticas, 3 tomógrafos - 2 instalados e 1 em processo de instalação -, 1 PET/CT, 1 Acelerador, 2 Hemodinâmicas - 1 instalada e 1 em preparo para a instalação - 2 Gama Câmara.

 

Parcerias e doações contribuíram para que o HUCFF desenvolvesse sua estrutura e se destacasse no atendimento 

Com o aumento de casos de internação por COVID-19 no estado do Rio de Janeiro, a direção do HUCFF promoveu parcerias para ampliar a estrutura física do hospital e deixar um legado pós-pandemia para a população carioca, com doações da Fundação Coppetec, Fundação Universitária José Bonifácio (Fujb) e do Movimento União Rio, que colaborou com a readequação de leitos de terapia intensiva, enfermarias e consultórios ambulatoriais. A contratação de novos profissionais - entre corpo médico, enfermeiros, técnicos e administrativos – permitiu manter uma boa oferta de leitos à população no pico da pandemia. 

Além das adequações para ampliar a oferta de leitos Covid, a reforma dos Ambulatórios - com 128 novas salas de atendimento - está prestes a ser concluída.  “Tivemos que remanejar o atendimento todo para outros andares, alteramos a rotina de visita, mas as obras terminam em breve e tudo volta para o lugar”, afirma o diretor-geral, Marcos Freire.

Amb HUCFFAmb HUCFF 2

 

 

Um ano de pandemia de covid-19

Há um ano, em uma quarta-feira, 11 de março de 2020, o diretor-geral da Organização Mundial da Saúde  (OMS), Tedros Adhanom, declarou que o que até então era considerada uma epidemia, tinha a força de pandemia.

No mesmo dia o Hospital Universitário Clementino Fraga Filho (HUCFF/UFRJ) notificou o primeiro caso suspeito e, então, formou-se o Gabinete de Crise - composto por representantes de importantes áreas do HUCFF - que passou a direcionar as ações envolvendo a produção de informações, a partir dos dados clínicos e administrativos, analisando informações, produzindo relatórios e coordenando futuras ações. Novos protocolos e medidas foram criados ao longo do ano e da pandemia, com a finalidade de manter o atendimento e a rotina no HUCFF.

Os últimos dados, neste 11 de março de 2021, um ano depois da declaração de pandemia pela OMS, indicam quase 120 milhões de pessoas infectadas pelo vírus e mais de 2,6 milhões de mortes.

No HUCFF - um dos hospitais com a maior taxa de sobrevida neste atual cenário - são 1733 casos notificados/suspeitos até o momento.

“Ainda temos muitos desafios. A perspectiva muda todos os dias. Mas vamos juntos colher os frutos deste legado. Agradeço a todos que compõem esta Unidade e fazem o HUCFF ser cada dia melhor. Que continuemos fazendo a diferença", , diretor-geral do HUCFF, professor Marcos Freire.

 

 Bons números de atendimentos e avanços estruturais

Por ser referência em média e alta complexidade, dada a capacitação do seu corpo clínico, o Hospital Universitário Clementino Fraga Filho (HUCFF/UFRJ) se preparou, antecipadamente, para receber pacientes graves durante a pandemia. Dos diferenciais da linha de frente no combate ao Coronavírus, destaca-se o fato desta ser a única unidade com sala de cirurgia em CTI COVID. Atualmente são 66 leitos habilitados para COVID - 32 leitos de CTI e 34 leitos de Enfermaria -.

Esta possibilidade de maior oferta de leitos COVID se deve à fundamental integração entre o HUCFF e as esferas federal, estadual e municipal, que vem sendo conquistada pela atual gestão.

A Prefeitura do Rio tem mantido os contratos atuais dos profissionais que já estão atuando no HUCFF desde o começo da pandemia. E o Ministério da Saúde (MS) destinou meios para a contratação de recursos humanos, através da Fiotec - Fundação de apoio à Fiocruz -, para a reativação de leitos no HUCFF. Novos leitos são habilitados à medida que estes profissionais são admitidos na Unidade.

Com recursos humanos adequados e equipamentos, o HUCFF tem capacidade para chegar a 80 leitos Covid.

O HUCFF mantém sua rotina de cirurgias eletivas, bem como a de atendimentos ambulatoriais. Realiza, em média, 25 cirurgias por dia e 800 consultas.

 

Retomada de transplantes e maior oferta de exames de diagnósticos

O HUCFF voltou a realizar cirurgias de transplante renal intervivos (com doador vivo), que estavam suspensas devido às medidas de biossegurança impostas para evitar a disseminação do novo coronavírus. O procedimento foi realizado na quinta-feira, 11/3.

"Este é um passo importante para reativarmos os demais transplantes e tornarmos o HUCFF hospital de ponta em transplante no Rio. Parabenizo todo o grupo da Nefrologia, Cirurgia Vascular, Urologia, Anestesia e Coordenação de Transplantes", afirmou Alberto Chebabo, diretor da Divisão Médica (DMD) do HUCFF.

O Serviço de Radiodiagnóstico do Hospital Universitário Clementino Fraga Filho (HUCFF/UFRJ) concluiu a instalação, nesta semana, de um novo aparelho de Ressonância Magnética permitindo, com isso, a possibilidade de até dobrar a capacidade de diagnóstico de alta complexidade. A previsão é que possam ser realizados entre 350 e 450 exames por mês, dependendo da complexidade dos exames.

 

Aquisição faz parte dos investimentos para a modernização do Parque Tecnológico

Hoje o HUCFF possui: 2 Ressonâncias Magnéticas, 3 tomógrafos - 2 instalados e 1 em processo de instalação -, 1 PET/CT, 1 Acelerador, 2 Hemodinâmicas - 1 instalada e 1 em preparo para a instalação - 2 Gama Câmara.

 

Parcerias e doações contribuíram para que o HUCFF desenvolvesse sua estrutura e se destacasse no atendimento durante pandemia

Além de adequações para ampliar a oferta de leitos Covid, a reforma dos Ambulatórios está prestes a ser concluída.  “Tivemos que remanejar o atendimento todo para outros andares, alteramos a rotina de visita, mas as obras terminam em breve e tudo volta para o lugar”, afirma o diretor-geral, Marcos Freire.

 

Assistência

Atende 42 especialidades médicas e 23 programas em alta complexidade. Possui um Programa de Transplante credenciado no Sistema Nacional de Transplante do Ministério da Saúde, para transplantar rim, fígado, córnea e medula óssea. Tem capacidade instalada atual de 244 leitos, com potencial para até 350 leitos ativos, na dependência do resgate de áreas não utilizadas e investimento em recursos humanos. Realiza por mês cerca de 20 mil consultas ambulatoriais, 450 cirurgias, e 700 internações.

Ensino

Recebe estudantes de graduação das diversas unidades acadêmicas da UFRJ. Por ano, oferece 200 novas vagas para o Programa de Residência Médica e 31 vagas para Residência Multiprofissional em Saúde. Campo de treinamento e formação de 1.795 alunos de graduação e pós-graduação, além de 333 residentes. A Residência Médica do HUCFF é uma das mais procuradas do país. O concurso para 2012 teve 2.230 candidatos inscritos para 206 vagas. Entre os cursos mais procurados estão o de Clínica Médica e Cirurgia Geral.

Pesquisa

O HUCFF abriga importantes laboratórios onde são desenvolvidas produções científicas e publicação de artigos. As recentes conquistas no setor de pesquisa são uma prova de que o hospital tem levado a sério o compromisso de garantir mais qualidade de vida a seus pacientes. É conhecido como um dos principais pólos de produção e disseminação de conhecimento saúde no estado e no país, além de conquistar crescente projeção internacional.