Profissionais são essenciais para a recuperação de pacientes Covid

2 fotoErbsJr  2020.10.13 Dia do FisioterapeutaA pandemia pôs em evidência o trabalho destes profissionais que se tornaram fundamentais para a recuperação dos pacientes acometidos pela Covid-19.

No atendimento intra-hospitalar o fisioterapeuta atua na recuperação de pacientes acometidos por diferentes doenças (neurológicas, ortopédicas, respiratórias, cardíacas entre outras) em todos os níveis de gravidade e setores como enfermarias e Unidades de Terapia Intensiva.

Os fisioterapeutas intensivistas e/ou respiratórios, que sempre atuaram nas Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) e atualmente fazem parte da equipe de combate ao coronavírus. No atendimento a pacientes internados está presente em todas as enfermarias e Unidades de Terapia Intensiva (Geral, Cardíaco e COVID). “A participação do Fisioterapeuta como equipe mínima para o funcionamento de Unidade de Terapia Intensiva tornou-se exigência legal a partir da publicação da RDC 7 da ANVISA, apesar do desconhecimento do público, que somente veio conhecer nossa atuação durante a pandemia da COVID-19”, esclarece a professora Sara Menezes, chefe o Serviço de Fisioterapia do HUCFF. 

Oferecemos completa assistência fisioterapêutica a todos os pacientes internados durante a pandemia, com a contratação de 85 profissionais, que atuaram nas Terapias Intensivas - responsabilizando-se pela evolução dos modos ventilatórios até o desmame do ventilador -, pronação dos pacientes, realização de técnicas de desobstrução e expansão pulmonar, associado mobilização e estímulo a funcionalidade”, explica a professora.
Com a finalidade de oferecer independência física aos acometidos pela COVID, o Serviço de Fisioterapia do HUCFF criou protocolos específicos para treinamento de equilíbrio e força desses pacientes. Além disso, após a alta, foi inaugurado também o Ambulatório Pós COVID onde os pacientes retornam semanalmente para dar continuidade ao seu tratamento, cujo objetivo é a independência funcional. Para os pacientes que não podem vir até o HUCFF, foi criado um programa de Tele-reabilitação, onde são supervisionados os exercícios que os pacientes realizam em suas residências. “O Serviço também conta com oito residentes da Residência Multiprofissional, que foram imprescindíveis neste período de incorporação de novos protocolos e acolhimento dos novos profissionais”, afirma Sara.

O Serviço de Fisioterapia do HUCFF atende a população em diversos ambulatórios específicos e diferenciados como tratamento a sequelas de hanseníase, pré e pós tratamento de cirurgia bariátrica entre outros especialidades, também possui atende a residência fisioterapêutica e supervisiona estágio dos alunos do Curso de Fisioterapia.

Terapia Ocupacional possibilita que pacientes com grandes desafios tenham resultados satisfatórios
A equipe de Terapia Ocupacional está atuando diretamente com pacientes com a Covid-19. Esses pacientes apresentam restrições ocupacionais e distintos graus de dependência funcional (total, moderada e leve). "Sem a presença do cuidador familiar, essas dificuldades se tornam ainda mais acentuadas", explica Janaina Nascimento, coordenadora da área de Terapia Ocupacional da Residência Multiprofissional do HUCFF.
A necessidade de avaliações e intervenções do terapeuta ocupacional com o paciente com a Covid-19 tem sido reconhecida como um componente essencial para resultados e satisfação dos pacientes no HUCFF-UFRJ. A atuação do terapeuta ocupacional está acontecendo por meio de diferentes recursos e abordagens, desde o período de admissão até a alta ou óbito. Dentre as nossas ações, destaca-se:
O treino, orientação e supervisão de Atividades de Vida Diária (AVD), tais como: usar vaso sanitário; realizar higiene íntima e pessoal; usar utensílios para alimentação e mobilidade funcional. Além das atividades instrumentais da vida diária, como o gerenciamento da comunicação — envio e recebimento de informações usando tablets e recursos de Comunicação de Alternativa; e o gerenciamento e manutenção da saúde, a fim de favorecer uma rotina ocupacional ainda no hospital e a participação em atividades de forma a garantir o bem-estar e a segurança do paciente; e a participação em atividades e expressão religiosa e espiritual.
"O terapeuta ocupacional participa do planejamento da alta hospitalar com orientações acerca da retomada das ocupações a curto e médio prazo", esclarece a coordenadora.

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Assistência

Atende 42 especialidades médicas e 23 programas em alta complexidade. Possui um Programa de Transplante credenciado no Sistema Nacional de Transplante do Ministério da Saúde, para transplantar rim, fígado, córnea e medula óssea. Tem capacidade instalada atual de 244 leitos, com potencial para até 350 leitos ativos, na dependência do resgate de áreas não utilizadas e investimento em recursos humanos. Realiza por mês cerca de 20 mil consultas ambulatoriais, 450 cirurgias, e 700 internações.

Ensino

Recebe estudantes de graduação das diversas unidades acadêmicas da UFRJ. Por ano, oferece 200 novas vagas para o Programa de Residência Médica e 31 vagas para Residência Multiprofissional em Saúde. Campo de treinamento e formação de 1.795 alunos de graduação e pós-graduação, além de 333 residentes. A Residência Médica do HUCFF é uma das mais procuradas do país. O concurso para 2012 teve 2.230 candidatos inscritos para 206 vagas. Entre os cursos mais procurados estão o de Clínica Médica e Cirurgia Geral.

Pesquisa

O HUCFF abriga importantes laboratórios onde são desenvolvidas produções científicas e publicação de artigos. As recentes conquistas no setor de pesquisa são uma prova de que o hospital tem levado a sério o compromisso de garantir mais qualidade de vida a seus pacientes. É conhecido como um dos principais pólos de produção e disseminação de conhecimento saúde no estado e no país, além de conquistar crescente projeção internacional.