UFRJ inicia testes com vacina BCG na prevenção à Covid-19

IDT 03UFRJ inicia testes com vacina BCG na prevenção à Covid-19

Pesquisa coordenada por professora do IDT busca responder se a vacina ajuda, tanto na prevenção da infecção, quanto na ocorrência de formas graves

O Instituto de Doenças do Tórax (IDT/UFRJ) iniciou na segunda-feira (5) a fase de testes para verificar se a vacina BCG pode contribuir para a prevenção contra a Covid-19. A vacina, já adiantam os pesquisadores, não substituirá, porém, uma eventual imunização especifica contra o novo coronavírus. Ao todo mil profissionais de saúde serão vacinados com a BCG, geralmente aplicada para prevenir casos de tuberculose em crianças recém-nascidas.

A iniciativa, financiada pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI), conta com o investimento de R$ 1 milhão em recursos do Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FNDCT) para a pesquisa, valor disponibilizado pela Financiadora de Estudos e Projetos (Finep).

O Ministro de Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), Marcos Pontes, acompanhou o início dos ensaios clínicos com a reitora da UFRJ, Denise Pires de Carvalho, o diretor do Hospital Universitário Clementino Fraga Filho (HUCFF/UFRJ), professor Marcos Freire e a professora Fernanda Mello, coordenadora da pesquisa.

Para o Ministro, com essa pesquisa, o país pode começar a pensar em outras pandemias que virão futuramente no Brasil.

“Quanto preparado nós estamos para as próximas pandemias que virão? Por isso que me sinto muito bem dentro das nossas universidades, principalmente como essa, que produz tanta ciência para o país”, disse ele durante o evento de inauguração, realizado em frente ao Hospital Universitário Clementino Fraga Filho (HUCFF/UFRJ). “A ciência é a única arma que temos para vencer o vírus”, finalizou.

 

IDT 01O IDT funciona dentro do HUCFF e oferece 51 turnos de Ambulatório por semana, distribuídos em: Pneumologia Geral, Tisiologia, Oncopneumologia, Asma Grave, DPOC Grave, Bronquiectasias, Doenças Intersticiais, Hipertensão Arterial Pulmonar e Cirurgia de Tórax. Além de promover o intercâmbio com instituições nacionais e estrangeiras vinculadas aos campos da prevenção, recuperação e reabilitação das doenças do tórax.

“Abrigar mais uma pesquisa neste gigante que é o Hospital Universitário Clementino Fraga Filho é a confirmação de que, no cenário Covid, o HUCFF não só se destacou no atendimento aos casos, mas se mantém como um centro de excelência em ensino, pesquisa e extensão”, afirma o diretor Marcos Freire.

A coordenadora da pesquisa do uso da vacina BCG para a prevenção contra a Covid-19, professora Fernanda Mello, disse que esse tratamento deve acompanhar os alvos da pesquisa que serão recrutados nos próximos dois meses.

“Nós vamos acompanhá-los em relação à ocorrência de infecção de formas graves pelos próximos seis a 12 meses. Faremos análises interinas para verificar se ela produz efeito protetor no grupo que foi vacinado”, explicou. Fernanda também disse que o trabalho de ensaio clínico não invalida a produção de outras vacinas contra a Covid-19.

“Essa vacina pode aumentar a imunidade, mas não vai substituir a vacina de Covid”, finalizou.

A reitora da UFRJ, Denise Pires de Carvalho, pontuou o trabalho árduo da Universidade no enfrentamento da pandemia. “Estamos há sete meses enfrentando essa doença, que é uma doença que acomete uma parte da população de forma muito grave. Desde o início, no mês de fevereiro, o GT Coronavírus da UFRJ já tinha emitido o primeiro boletim, sob a liderança do professor Roberto Medronho”, disse Denise, lembrando que, quando os álcoois tinham sumido das prateleiras dos mercados, a UFRJ produziu mais de 80 toneladas, distribuídas nas nove unidades de saúde da Universidade, bem como nos laboratórios.
Denise citou algumas das ações da UFRJ no enfrentamento da doença. “Nós não só fizemos os 30 mil testes diagnósticos até aqui, como esses testes ajudaram a conhecer melhor essa doença, o curso clínico. Mais do que isso, ajudaram a validar outros tipos de testes. Em colaboração com outras instituições públicas, a validação de testes sorológicos e de testes de antígeno vem acontecendo com muita seriedade, com a excelência característica da nossa Universidade, que, obviamente, será muito importante não só para o Brasil, mas para o mundo”, disse Denise.

Laboratórios de campanha
Na ocasião o ministro também participou da inauguração das instalações do laboratório de campanha para testes diagnósticos, no Centro de Ciência da Saúde (CCS/UFRJ), no campus da Universidade. A iniciativa tem o objetivo de ampliar a capacidade de realizar testes diagnósticos da Covid-19.
De acordo com o coordenador do laboratório de campanha da UFRJ, Amílcar Tanuri, a estrutura do laboratório, que foi totalmente reformado com capacidade NB-2 de biossegurança, tem a capacidade de realizar 300 testes moleculares, do tipo PCR, por dia. Embora seja focado em testes moleculares, o laboratório também pode realizar exames sorológicos e antigênicos.
O coordenador também destaca outros fatores importantes da iniciativa.

“É interessante nesta concepção de laboratório ligado à universidade que os testes se tornam parte da pesquisa” afirma. “Não são meros testes como são feitos em laboratórios privados, que o paciente só recebe o resultado”, explica o coordenador.

Segundo ele, o foco inicial deste laboratório será na comunidade da universidade, profissionais de saúde, alunos e funcionários presentes na universidade e nos hospitais vinculados à instituição, como o Clementino Fraga. Mas também serão analisadas amostras enviadas por outras unidades de saúde federais, municipais e estaduais.

IDT 00

 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Assistência

Atende 42 especialidades médicas e 23 programas em alta complexidade. Possui um Programa de Transplante credenciado no Sistema Nacional de Transplante do Ministério da Saúde, para transplantar rim, fígado, córnea e medula óssea. Tem capacidade instalada atual de 244 leitos, com potencial para até 350 leitos ativos, na dependência do resgate de áreas não utilizadas e investimento em recursos humanos. Realiza por mês cerca de 20 mil consultas ambulatoriais, 450 cirurgias, e 700 internações.

Ensino

Recebe estudantes de graduação das diversas unidades acadêmicas da UFRJ. Por ano, oferece 200 novas vagas para o Programa de Residência Médica e 31 vagas para Residência Multiprofissional em Saúde. Campo de treinamento e formação de 1.795 alunos de graduação e pós-graduação, além de 333 residentes. A Residência Médica do HUCFF é uma das mais procuradas do país. O concurso para 2012 teve 2.230 candidatos inscritos para 206 vagas. Entre os cursos mais procurados estão o de Clínica Médica e Cirurgia Geral.

Pesquisa

O HUCFF abriga importantes laboratórios onde são desenvolvidas produções científicas e publicação de artigos. As recentes conquistas no setor de pesquisa são uma prova de que o hospital tem levado a sério o compromisso de garantir mais qualidade de vida a seus pacientes. É conhecido como um dos principais pólos de produção e disseminação de conhecimento saúde no estado e no país, além de conquistar crescente projeção internacional.