Coronavírus: HUCFF é dividido em alas

Design sem nome 2Com a finalidade de otimizar recursos, EPIs – Equipamentos de Proteção Individual - e pessoal o Hospital Universitário Clementino Fraga Filho (HUCFF/UFRJ) foi dividido em alas COVID-19 e não COVID-19.

Para Alberto Chebabo, diretor da Divisão Médica (DMD) da Unidade, o HUCFF é um dos locais mais seguros para os profissionais de saúde trabalharem hoje no Rio de Janeiro. “Com a ajuda do Grupo de Trabalho da UFRJ e de doações a gente conseguiu máscaras, equipamentos de proteção individual que estão sendo distribuídos e utilizados pela equipe de acordo com todas as recomendações baseadas nos protocolos, cuja base é a ciência”, destaca ele.

O estoque dos Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) do HUCFF está em dia. Tudo que está sendo feito na UFRJ é para proteger os profissionais de saúde e dar o máximo de segurança para eles trabalharem. “É obvio que alguns procedimentos podem modificar à medida que a gente vai adquirindo mais conhecimento a respeito desse momento que a gente vive, que é novo para todos. Mas, em nenhum momento, a gente está colocando a equipe sob risco”, explica Chebabo.

 

 

91881957 3988215387863180 4922820368541941760 nTreinamento adequado

Embora preconizado o uso de máscara N95 na Ressuscitação Cardiopulmonar (RCP) e Intubação Orotraqueal (IOT), esta não foi utilizada na simulação - foto - com o objetivo de não perder equipamento inadvertidamente.

A CCIH - Coordenação de Controle de Infecção Hospitalar - do HUCFF promove treinamentos itinerantes aos profissionais que atuam no atendimento aos casos suspeitos de Covid-19. Os Serviços estão organizando os profissionais em grupos pequenos - dentro da própria rotina - para não submetê-los a aglomerações e pôr em risco a saúde. Os treinamentos serão mantidos até quando for necessário e é fruto da parceria da CCIH e COEP - Coordenação de Educação Permanente - da Divisão de Enfermagem (DEN) do HUCFF. “Há orientação adequada aos profissionais quanto ao uso correto, com a finalidade de que haja um controle para que não falte na assistência quando o fluxo de pacientes aumentar”, explica Clarice Araújo, coordenadora da COPEM - Comissão de Padronização e Qualificação de Materiais e Equipamentos Hospitalares – do HUCFF.

Atendimento aos casos

O Hospital Universitário Clementino Fraga Filho (HUCFF/UFRJ) vai atender casos encaminhados pelas Secretarias Estadual e Municipal de Saúde, além de casos suspeitos de pacientes que são referenciados - possuem prontuário ativo - em nossa Unidade. O Hospital do Fundão, como é conhecido, não possui Emergência aberta. Ou seja, só atende pacientes que possuem prontuário na Unidade.

Os pacientes suspeitos são encaminhados para a Emergência, onde há 12 leitos separados para esta demanda. Não há contato de pacientes suspeitos com pacientes não suspeitos. A coleta dos exames é feita no Hospital, porém quem disponibiliza os testes é o Laboratório de Virologia Molecular (LaVimoan).

Estamos preparando o HUCFF para receber os pacientes. Serão 60 leitos específicos para COVID-19, todos com estrutura de terapia intensiva. As adequações físicas estão sendo realizadas, equipamentos e insumos comprados, além de treinamento adequado aos profissionais. As doações estão sendo fundamentais neste momento de subfinanciamento dos Hospitais em meio ao cenário de Pandemia. Além do Instituto da Criança, que está focado em ativar por completo os 60 leitos de CTI aqui no HUCFF, nós temos o Fundo Coppetec, que é destinado a todo o Complexo Hospitalar. Sem as doações a gente não conseguiria se preparar para a demanda de pacientes que vai chegar nos próximos dias. Nós criamos um Gabinete de Crise do HUCFF que se reúne diariamente para planejar estrategicamente as ações do Hospital. Da alterações na rotina do fluxo de pacientes à aquisição dos materiais e equipamentos. A dedicação de todo o grupo - Assistência e Administrativo - tem sido fundamental para a gente conseguir cumprir os prazos", destaca o diretor geral, professor Marcos Freire.

A proposta é o funcionamento da Emergência e CTI COVID com 12 leitos no Subsolo e a internação de pacientes COVID de menor gravidade no Setor 5D (5º andar).

A Emergência não COVID está em funcionamento no 7ª (7º andar) e as unidades 9C e 10C –no 9º e 10º andar respectivamente - destinadas a pacientes não COVID. Bem como 12 leitos de Terapia Intensiva no 12º andar (RPA).

Nas enfermarias que passam por adequações físicas (8º andar) está programado o funcionamento da Terapia Intensiva COVID, com 48 leitos, para os quais estão sendo adquiridos equipamentos e planejada a contratação de mais profissionais para o atendimento.

A DEN está trabalhando com base nas normativas oficiais - Ministério da Saúde (MS), Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Ministério da Educação – com o objetivo de adequar fluxos, equipamentos e utilização de EPI nos diferentes contextos e unidades, bem como realizar o treinamento das equipes”, afirma o diretor da DEN, Tony Figueiredo.

 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Assistência

Atende 42 especialidades médicas e 23 programas em alta complexidade. Possui um Programa de Transplante credenciado no Sistema Nacional de Transplante do Ministério da Saúde, para transplantar rim, fígado, córnea e medula óssea. Tem capacidade instalada atual de 244 leitos, com potencial para até 350 leitos ativos, na dependência do resgate de áreas não utilizadas e investimento em recursos humanos. Realiza por mês cerca de 20 mil consultas ambulatoriais, 450 cirurgias, e 700 internações.

Ensino

Recebe estudantes de graduação das diversas unidades acadêmicas da UFRJ. Por ano, oferece 200 novas vagas para o Programa de Residência Médica e 31 vagas para Residência Multiprofissional em Saúde. Campo de treinamento e formação de 1.795 alunos de graduação e pós-graduação, além de 333 residentes. A Residência Médica do HUCFF é uma das mais procuradas do país. O concurso para 2012 teve 2.230 candidatos inscritos para 206 vagas. Entre os cursos mais procurados estão o de Clínica Médica e Cirurgia Geral.

Pesquisa

O HUCFF abriga importantes laboratórios onde são desenvolvidas produções científicas e publicação de artigos. As recentes conquistas no setor de pesquisa são uma prova de que o hospital tem levado a sério o compromisso de garantir mais qualidade de vida a seus pacientes. É conhecido como um dos principais pólos de produção e disseminação de conhecimento saúde no estado e no país, além de conquistar crescente projeção internacional.