Pagamento dos extraquadro do HUCFF é abordado em reunião do Consuni

IMG 7142 reunião consuni reduzidaA situação de alerta e apreensão entre funcionários, alunos e pacientes do HUCFF, devido à retenção pela reitoria da UFRJ de recursos pagos pelo Sistema Único de Saúde (SUS), e que deveriam ser destinados à unidade para o atendimento de pacientes, foi apresentando pelo diretor-geral da unidade, professor Eduardo Côrtes, aos membros do Conselho Universitário da UFRJ (Consuni), na sessão desta quinta-feira, dia 14.

O SUS paga ao HUCFF pelos atendimentos prestados a pacientes na unidade, mas esse pagamento não é feito diretamente ao hospital. O valor é encaminhado à reitoria, que o repassa ao HUCFF. No entanto, nos últimos trimestres de 2015 e de 2016, o valor pago pelo SUS foi retido pela reitoria para bancar o pagamento de funcionários extraquadro do hospital. A manobra é ilegal, já que despesas com pessoal são de responsabilidade da universidade. Mensalmente a UFRJ paga de R$ 1,2 milhão a cerca de 700 funcionários, incluindo médicos, enfermeiros, engenheiros, fisioterapeutas, pessoal administrativo, entre outros, que atuam em todas as áreas do hospital.  

No último mês de agosto, a direção do HUCFF foi surpreendida pela retenção da reitoria de cerca de R$ 2,4 milhões em dois meses de orçamento do SUS, de setembro e outubro. O diretor entrou em contato com a reitoria para reforçar que a falta desse dinheiro inviabilizaria o funcionamento da unidade de saúde, mas a reitoria informou que não conseguiria arcar com o pagamento dos salários dos quatro últimos meses do ano, ou seja, uma situação ainda pior do que dos anos anteriores.

 “Precisamos de uma solução da UFRJ, porque, se estes funcionários pararem de trabalhar, não será possível manter o HUCFF aberto, já que os mesmos representam cerca de 1/4 do quadro total de funcionários. Não podemos deixar que isso aconteça, pois os nossos pacientes terão prejuízos irreparáveis, levando inclusive a risco de morte em caso de fechamento de leito. Não temos outras unidades de saúde para transferi-los, pois, com a crise na área da saúde, o Estado já fechou outros hospitais. Além disso, milhares de pessoas serão impactadas e os nossos alunos também serão muito prejudicados. É uma arbitrariedade da reitoria esse contingenciamento. Todos têm pleno conhecimento da importância desse dinheiro para nós. O hospital fecharia caso não fosse pago o salário dos extraquadro. Inclusive o assunto já foi noticiado em diversos veículos de imprensa”, esclarece Eduardo Côrtes.

As incertezas sobre o futuro do HUCFF preocupam não só a direção como os funcionários extraquadro, servidores, alunos e pacientes, que fizeram um apelo durante a reunião do Consuni. “Eu e muitos outros pacientes não temos para onde ir se o hospital fechar”, destacou Ricardo Sérgio do Carmo, paciente oncológico do HUCFF.

Durante a sessão, o reitor da UFRJ, Roberto Leher, esclareceu que o pagamento dos extraquadro do HUCFF não é uma decisão da reitora e sim do Consumi, que, segundo ele, deliberou que o orçamento para esse fim seria destinado ao hospital até o mês de agosto.
Para os funcionários extraquadro presentes na reunião a explicação do reitor não convenceu, já que, mesmo que o Conselho tenha aprovado o corte do orçamento, a proposta do projeto partiu da reitoria.

 “É imprescindível mantermos o funcionamento do HUCFF. Nada é mais importante do que a vida. Enquanto eu estiver aqui, vou lutar incansavelmente para isso. Esse é o meu papel, defender esses profissionais, nossos pacientes, alunos, este hospital”, ressaltou Eduardo Côrtes.

O assunto já está sendo repercutido na imprensa desde ontem, dia 14. Confira algumas matérias publicadas:

Site Cremerj (14/09/2017): http://old.cremerj.org.br/informes/mostra.php?id=3590&alt=1

O Globo online (14/09/2017): https://oglobo.globo.com/rio/hospital-do-fundao-pode-fechar-em-outubro-por-falta-de-dinheiro-21824003

Extra Online (14/09/2017): https://extra.globo.com/noticias/rio/hospital-do-fundao-pode-fechar-partir-de-outubro-por-falta-de-dinheiro-21824041.html

TV GLOBO/Bom Dia Rio (15/09/2017): http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/bom-dia-rio/videos/t/edicoes/v/hospital-do-fundao-corre-risco-de-fechar-as-portas-por-falta-de-repasse-de-recursos/6149596/

Portal G1 (15/09/2017): https://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/hospital-do-fundao-pode-fechar-as-portas-alerta-diretor-da-unidade-de-saude.ghtml

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Assistência

Atende 42 especialidades médicas e 23 programas em alta complexidade. Possui um Programa de Transplante credenciado no Sistema Nacional de Transplante do Ministério da Saúde, para transplantar rim, fígado, córnea e medula óssea. Tem capacidade instalada atual de 250 leitos, com potencial para até 450 leitos ativos, na dependência do resgate de áreas não utilizadas e investimento em recursos humanos. Realiza por mês cerca de 20 mil consultas ambulatoriais, 450 cirurgias, e 700 internações.

Ensino

Recebe estudantes de graduação das diversas unidades acadêmicas da UFRJ. Por ano, oferece 200 novas vagas para o Programa de Residência Médica e 31 vagas para Residência Multiprofissional em Saúde. Campo de treinamento e formação de 1.795 alunos de graduação e pós-graduação, além de 333 residentes. A Residência Médica do HUCFF é uma das mais procuradas do país. O concurso para 2012 teve 2.230 candidatos inscritos para 206 vagas. Entre os cursos mais procurados estão o de Clínica Médica e Cirurgia Geral.

Pesquisa

O HUCFF abriga importantes laboratórios onde são desenvolvidas produções científicas e publicação de artigos. As recentes conquistas no setor de pesquisa são uma prova de que o hospital tem levado a sério o compromisso de garantir mais qualidade de vida a seus pacientes. É conhecido como um dos principais pólos de produção e disseminação de conhecimento saúde no estado e no país, além de conquistar crescente projeção internacional.