Combatendo a imunodeficiência primária

IDP reduzidaPara marcar a Semana Mundial da Imunodeficiência Primária, que foi do 22 a 29 de abril, o Serviço de Imunologia do Hospital Universitário Clementino Fraga Filho (HUCFF) realizou uma ação com familiares e pacientes para conscientizar sobre a doença. No HUCFF, além dos 140 pacientes com angioedema hereditário (AEH), que é um tipo de imunodeficiência primária, outros 40 são atendidos pelo serviço. Enquanto o AEH acarreta inchaço, nas demais imunodeficiências ocorrem infecções, que podem ser graves e levar a internações em CTI. O evento aconteceu dia 26.

Apesar dos sintomas surgirem majoritariamente na infância, adultos também podem iniciar a doença. Quem explica as características da imunodeficiência primária é a médica do ambulatório de imunologia, Maria Luiza Alonso. “Tratam-se de doenças congênitas em que há comprometimento do sistema imune que dependem do diagnóstico precoce para o tratamento adequado, o aumento da sobrevida e a melhoria da qualidade de vida”, resume ela.
Por se tratar de uma doença rara, conseguir esse diagnóstico precoce nem sempre é fácil. Por isso a chefe do serviço, Solange Valle, explica que além de conscientizar o paciente é preciso orientar o profissional de saúde, já que muitos não conhecem a doença. “Essa ação dos pacientes e familiares procura conscientizá-los da importância de acompanhar regularmente o tratamento. Além disso, vamos realizar uma palestra com médicos de outras especialidades para que eles possam conhecer os sinais de alerta e encaminhem precocemente os casos”, conclui.

Fique atento aos sinais:

1 – Duas ou mais pneumonias no último ano
2 – Quatro ou mais novas otites no último ano
3 – Estomatites de repetição ou sapinho por mais de dois meses
4 – Abscessos de repetição
5 – Dois ou mais episódios de infecção sistêmica
6 – Infecções intestinais de repetição / diarreia crônica
7 – Asma grave, doença do colágeno ou doença autoimune
8 – Efeito adverso ao BCG, tuberculose ou hanseníase
9 – Características clínicas sugestivas de síndrome associadas à imunodeficiência
10 – História familiar de imunodeficiência primária

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Assistência

Atende 42 especialidades médicas e 23 programas em alta complexidade. Possui um Programa de Transplante credenciado no Sistema Nacional de Transplante do Ministério da Saúde, para transplantar rim, fígado, córnea e medula óssea. Tem capacidade instalada atual de 250 leitos, com potencial para até 450 leitos ativos, na dependência do resgate de áreas não utilizadas e investimento em recursos humanos. Realiza por mês cerca de 20 mil consultas ambulatoriais, 450 cirurgias, e 700 internações.

Ensino

Recebe estudantes de graduação das diversas unidades acadêmicas da UFRJ. Por ano, oferece 200 novas vagas para o Programa de Residência Médica e 31 vagas para Residência Multiprofissional em Saúde. Campo de treinamento e formação de 1.795 alunos de graduação e pós-graduação, além de 333 residentes. A Residência Médica do HUCFF é uma das mais procuradas do país. O concurso para 2012 teve 2.230 candidatos inscritos para 206 vagas. Entre os cursos mais procurados estão o de Clínica Médica e Cirurgia Geral.

Pesquisa

O HUCFF abriga importantes laboratórios onde são desenvolvidas produções científicas e publicação de artigos. As recentes conquistas no setor de pesquisa são uma prova de que o hospital tem levado a sério o compromisso de garantir mais qualidade de vida a seus pacientes. É conhecido como um dos principais pólos de produção e disseminação de conhecimento saúde no estado e no país, além de conquistar crescente projeção internacional.