Curso de Extensão do Serviço Social tem sala cheia no primeiro dia

O Serviço Social do Hospital Universitário Clementino Fraga Filho (HUCFF/UFRJ), em parceria com a Escola de Serviço Social da Universidade Federal do Rio de Janeiro (ESS/UFRJ), iniciou nesta terça-feira (14) o 1º Curso de Extensão "O trabalho e a formação do Serviço Social na Residência Multiprofissional". A iniciativa faz parte do projeto "Conhecendo o trabalho profissional dos Assistentes Sociais na saúde mental e drogas no Rio de Janeiro. Cuja a proposta visa qualificar, com base na educação permanente em saúde, a preceptoria de núcleo do Serviço Social no Programa de Residência Integrada Multiprofissional em Saúde do Hospital Universitário Clementino Fraga Filho da Universidade Federal do Rio de Janeiro (PRIMS/HUCFF/UFRJ). 
Ao todo serão 10 encontros, com duração de 4h cada, toda terça-feira. O curso termina dia 06/11. O público-alvo é constituído por Assistentes sociais, Residentes (área Serviço Social), Docentes e Estudantes de Graduação em Serviço Social. Ao todo são 60 vagas, sendo 21 (vinte e uma) destinadas para o público interno, e 33 para o público externo.

Acesse aqui o caderno de Conteúdos.

Serviço Social 1Serviço Social 2Serviço Social 4Serviço Social 3

I Workshop: Atualizando as rotinas dos Serviços - CTI

2018.08.09 Evento DAA 1O encontro, que teve por objetivo despertar reflexões acerca das práticas de cada uma das profissões que atuam no CTI Geral, foi o primeiro de uma série que a Divisão de Apoio Assistencial (DAA / HUCFF) preparou para este ano, com a finalidade de informar aos membros da equipe sobre as atualizações, conquistas e até mesmo a Legislação que impõe ou proíbe determinadas práticas.
"Este primeiro evento foi aberto aos profissionais que atuam no CTI. A intenção é que os demais sejam estendidos para outros Serviços como a Emergência e a Clínica Cirúrgica", explicou o diretor da DAA, professor Levi Santa Rosa.

Série: 10 passos para uma alimentação (mais) saudável

siteO Guia alimentar para a população Brasileira faz parte de uma iniciativa do Ministério da Saúde para incentivo de prática alimentares saudáveis - tanto individuais quanto coletivas - e que resultem na prevenção de doenças crônicas. O documento foi lançado em 2006 e teve sua segunda edição publicada  em 2014. As recomendações deste guia são apresentadas de forma resumida em 10 passos para uma alimentação saudável que serão apresentados, semanalmente, pelo Serviço de Nutrição do HUCFF todas as sextas na nossa página do Facebook. Acompanhem!

2018.06.29 Série Serviço de NutriçãoOs alimentos in natura são aqueles que, como o próprio nome indica, são consumidos na forma em que se encontram na natureza, sem ter sofrido nenhuma alteração. Já os minimamente processados são os alimentos in natura, que antes da sua aquisição foram submetidos a alterações mínimas como por
exemplo o trigo, milho e cereais em grãos.Estes alimentos devem ser a base ideal para uma alimentação nutricionalmente completa. São eles: grãos, raízes, tubérculos, farinhas, legumes, verduras, frutas, castanhas, leite, ovos e carnes, contemplando uma variedade dentro de cada tipo : feijão, arroz, milho, batata, mandioca, tomate, abóbora, laranja, banana, frango, peixes etc.O consumo diário e variado destes alimentos é primordial para atingirmos nossas necessidades diárias de nutrientes.No nosso dia a dia, é fácil abrir mão dos alimentos in natura ou minimamente processados, e recorrer a praticidade dos alimentos industrializados, com inúmeros aditivos e conservantes prejudiciais à saúde. A dica é: descasque mais e desembrulhe menos. Sua saúde agradece.
nutri 2Consumidos em excesso, esses alimentos podem ser prejudiciais à saúde. No entanto, se usados em pequenas quantidades como tempero ou para cozinhar alimentos in natura ou minimamente processados conferem sabor à comida. O Guia reforça a importância da elaboração de preparações culinárias, o que apresenta qualidade nutricional bem superior aos alimentos comprados prontos como os processados (legumes em conservas por exemplo) e ultraprocessados (embutidos e biscoitos, dentre outros). Dica: Prepare mais, desembale menos!
2018.07.13 Série Serviço de NutriçãoOs alimentos ditos processados são versões modificadas do alimento original.  O objetivo principal do processamento é aumentar o “tempo de prateleira” dos alimentos in natura ou minimamente processados. São considerados alimentos processados: alimentos em conservas, frutas em compotas, extrato de tomate, carnes adicionadas de sal, peixes conservados em sal ou óleo, queijos feitos de leite e sal (e micro-organismos usados para fermentar o leite) e pães feitos de farinha de trigo, água e sal (e leveduras usadas para fermentar a farinha).  Deve-se ressaltar que qualquer processamento que vise aumentar a “ duração” de tais alimentos, é feito por meio da adição de sal ou açúcar em quantidades elevadas, de modo a alterar a composição nutricional dos alimentos. A leitura dos rótulos dos alimentos pode ajudar a escolher aqueles com menor teor de sal ( sódio) ou açúcar.  Os alimentos processados podem ser consumidos em pequenas quantidades como ingredientes de preparações culinárias ou como parte de uma refeição que já contenha alimentos in natura ou minimamente processados. No entanto, o consumo de alimentos processados para substituir uma refeição,  sozinhos  ou combinados a outros alimentos processados ou ultraprocessados não é recomendado.
2018.07.20 Série Serviço de NutriçãoA fabricação de alimentos ultraprocessados envolve diversas etapas de processamento industrial e adição de muitos ingredientes, que incluem gordura vegetal hidrogenada, açúcar, amido, soro de leite, emulsificantes, espessantes, corantes, aromatizantes e outros aditivos de nomes bem complicados. A função desses inúmeros ingredientes é conferir cor, sabor, aroma e textura de modo que fiquem atrativos para o consumidor. Os alimentos ultraprocessados incluem vários tipos de guloseimas, bebidas adoçadas com açúcar ou adoçantes artificiais, pós para refrescos, embutidos e outros produtos derivados de carne e gordura animal, produtos congelados prontos para aquecer, produtos desidratados (como misturas para bolo, sopas em pó, “macarrão” instantâneo e “tempero“ pronto), salgadinhos “de pacote”, cereais matinais, barras de cereal, bebidas energéticas, entre muitos outros. Pães e produtos panificados tornam-se alimentos ultraprocessados quando, além da farinha de trigo, leveduras, água e sal, são adicionados gordura vegetal hidrogenada, açúcar, amido, soro de leite, emulsificantes e outros aditivos. Além disso, os alimentos ultraprocessados favorecem o consumo excessivo de calorias, são nomeados como irresistíveis dado a quantidade de ingredientes que induzem o seu consumo, o que pode acarretar em doenças como hipertensão, diabetes e obesidade. Também são formulados para serem consumidos em qualquer lugar, na própria embalagem, tornando muitas vezes dispensável o hábito de sentar à mesa e partilhar as refeições. Ao mesmo tempo, o uso de embalagens e quantidades grandes de insumos que envolvem o processamento tem impacto direto sobre o meio ambiente.
Como já falamos aqui, a leitura dos rótulos é fundamental na hora de fazer suas compras. Se o rótulo possui muitos ingredientes que você não conhece (cinco ou mais ingredientes), ele já está na categoria dos ultraprocessados. O consumo destes alimentos pode representar praticidade nos dias de hoje, porém não é sinônimo de saúde. Não custa nada repetir: Desembale menos e descasque e prepare mais seus alimentos. Sua saúde agradece.
Quer saber mais sobre o guia alimentar? O Guia pode ser encontrada na íntegra aqui.
2018.07.27 Série Serviço de NutriçãoAtualmente tem se ouvido falar em mindful eating, que significa comer com atenção plena, ou comer com consciência, desfrutando do que se está comendo, mastigando bem os alimentos. O ideal é que você esteja sentado à mesa em um ambiente calmo e tranquilo, livre dos estímulos sonoros e visuais provenientes de celulares, eletrônicos e Tvs. Deste modo, é fácil perceber os sinais internos que indicam que você não está mais com fome. Ao comer em companhia evita-se que se coma rapidamente, permite partilhar o prazer que se sente ao se alimentar e ainda favorece o fortalecimento de vínculos afetivos. Procure fazer suas refeições em horários semelhantes todos os dias, sem pressa e evite “beliscar” nos intervalos entre as refeições. Sabe aquele ditado: A pressa é inimiga da perfeição? Neste caso podemos dizer que a pressa é inimiga da refeição!
2018.08.03 Série Serviço de NutriçãoProcure fazer compras de alimentos em mercados, feiras livres e feiras de produtores e outros locais que comercializam variedades de alimentos in natura ou minimamente processados. As frutas, verduras e legumes comprados na época da safra são mais baratos, porque há maior oferta daquele alimento. Além disso, quando cultivados na época ideal, dispensam o uso de condições artificiais ( preparo diferenciado do solo com compostos químicos, estufas e agrotóxicos), conseguem se desenvolver melhor e apresentam maior valor nutritivo e muito mais sabor. Ao preferir legumes, verduras e frutas cultivados localmente ou comprados diretamente do produtor também é possível ter um custo reduzido, já que não há intermediários no processo, além de ser livre de agrotóxicos. O consumo consciente das frutas, verduras e legumes além de trazer benefícios para sua saúde e de sua família, ajuda ao meio ambiente!
nutro7Atualmente, a indústria tenta nos convencer de que os alimentos industrializados possuem os mesmos ingredientes de uma preparação culinária, como se tivessem saído da casa de alguém direto para a sua. E assim, vamos nos convencendo de que cozinhar é perda de tempo, adotando cada vez mais em nosso dia a dia preparações industrializadas e congeladas. O tempo é hoje um dos grandes obstáculos para a sociedade moderna e tem interferência direta no quanto nos dedicamos para comprar, preparar e cozinhar. Ainda assim, preparar o próprio alimento e de sua família, é uma excelente oportunidade para fortalecer vínculos. Envolva, quando houver, seus familiares e amigos nessas atividades e torne esse momento prazeroso. O preparo das próprias refeições requer planejamento. Carnes e feijões, por exemplo, podem ser cozidos em maior quantidade em um único dia, congelados e utilizados em preparações ao longo da semana.Se você tem habilidades culinárias, procure desenvolvê-las e partilhá-las. Se não tem, procure adquiri-las.Preparar seu próprio alimento é investir na sua saúde!
nutri8modeloNa última semana falamos um pouco da importância de preparar os próprios alimentos, partilhar as habilidades culinárias e dedicar um tempo para isso. Esta edição do guia alimentar para a população brasileira tem dado ênfase à qualidade da alimentação, o contexto no qual ela está inserido, bem como as relações que se estabelecem em torno dela. O guia não menciona quantidades, porque entende que os aspectos qualitativos, sociais, culturais, que envolvem a alimentação e as suas escolhas são fundamentais para a saúde plena do indivíduo.O oitavo passo reforça a importância de planejar as compras e o cardápio da semana e a relevância de toda família estar envolvida nas atividades relacionadas à alimentação. O tempo dedicado a alimentação é importante e deve ser um momento de prazer e de estreitamento de laços. Como já mencionamos outra vez aqui, a pressa é inimiga da refeição. Como você tem usado o seu tempo?
   

Sarampo: Quem deve se vacinar?

Devido ao surto de sarampo que está acontecendo em vários estados brasileiros, principalmente no Amazonas e Roraima, a recomendação oficial é atualizar a carteira de vacinação para prevenir a doença. Essa orientação serve não só para as crianças, como também adolescentes e adultos, evitando a circulação do vírus no país. Em 2018, a Campanha Nacional de Vacinação contra o sarampo e a poliomielite ocorrerá de 6 a 31 de agosto em todo o país. Durante esse período, os postos de saúde da rede pública oferecerão as doses gratuitamente.

O objetivo da campanha contra o sarampo e a poliomielite é captar crianças ainda não vacinadas ou que não obtiveram resposta imunológica satisfatória à vacinação, minimizando o risco de adoecimento dessas crianças e, consequentemente, reduzindo ou eliminando os bolsões de não vacinados. O ‘Dia D’ de vacinação será realizado em 18 de agosto. 2018.07.17 sarampo

A primeira dose da vacina tríplice viral deve ser ministrada aos 12 meses de idade. Aos 15 meses, uma dose da vacina tetraviral (sarampo, caxumba, rubéola e varicela), que corresponde à segunda dose da vacina tríplice e uma dose da varicela. Caso haja atraso na vacinação, crianças até quatro anos de idade ainda poderão receber a vacina com o componente varicela. A partir de cinco até os 29 anos de idade, deverão ser administradas duas doses com a vacina tríplice viral. Pessoas de 30 a 49 anos de idade devem receber uma dose.

Casos suspeitos de sarampo, gestantes, crianças menores de 6 meses de idade e imunocomprometidos não devem receber a vacina. A gestante deve esperar para ser vacinada após o parto. Quem está planejando engravidar, deve primeiramente colocar a vacinação em dia e aguardar pelo menos um mês após a última dose. As pessoas devem estar com a caderneta de vacinação completa de acordo com o recomendado pelo Programa Nacional de Imunizações. No entanto, quem já teve a doença está imune.

O que é o sarampo?
O sarampo é uma doença infecciosa aguda, viral, transmissível, extremamente contagiosa e muito comum na infância.

Transmissão
A transmissão ocorre diretamente, de pessoa a pessoa, geralmente por tosse, espirros, fala ou respiração, por isso a facilidade de contágio da doença. Além de secreções respiratórias ou da boca, também é possível se contaminar através da dispersão de gotículas com partículas virais no ar, que podem perdurar por tempo relativamente longo no ambiente, especialmente em locais fechados como escolas e clínicas. A doença é transmitida na fase em que a pessoa apresenta febre alta, mal-estar, coriza, irritação ocular, tosse e falta de apetite e dura até quatro dias após o aparecimento das manchas vermelhas.

Sintomas
Os sintomas iniciais apresentados pelo doente são: febre acompanhada de tosse persistente, irritação ocular, coriza e congestão nasal e mal estar intenso. Após estes sintomas, há o aparecimento de manchas avermelhadas no rosto, que progridem em direção aos pés, com duração mínima de três dias. São comuns lesões muito dolorosas na boca. A doença pode ser grave, com acometimento do sistema nervoso central e pode complicar com infecções secundárias como pneumonia, podendo levar à morte. As complicações atingem mais gravemente os desnutridos, os recém-nascidos, as gestantes e as pessoas portadoras de imunodeficiências.

Liga de Cirurgia Cardíaca

PHOTO-2018-06-18-20-42-53Na última terça-feira (18) aconteceu a Liga de Cirurgia Cardíaca da UFRJ, que teve como palestrante convidado o Dr Sylvio Provenzano Júnior, ex-residente do Serviço de Cirurgia Cardíaca, que hoje chefia o Serviço de Cirurgia Cardíaca do Gold University Hospital, na Austrália.
O evento organizado pelos alunos da LIGA de Cirurgia e pelo Professor Mauro Paes Leme, chefe da Disciplina, contou com a presença dos Professores Eméritos Antônio Jazbik, Henrique Murad e Nelson Souza e Silva, além de vários membros do Serviço de Cirurgia Cardíaca e Cardiologia do HUCFF. PHOTO-2018-06-18-18-55-29

Assistência

Atende 42 especialidades médicas e 23 programas em alta complexidade. Possui um Programa de Transplante credenciado no Sistema Nacional de Transplante do Ministério da Saúde, para transplantar rim, fígado, córnea e medula óssea. Tem capacidade instalada atual de 250 leitos, com potencial para até 450 leitos ativos, na dependência do resgate de áreas não utilizadas e investimento em recursos humanos. Realiza por mês cerca de 20 mil consultas ambulatoriais, 450 cirurgias, e 700 internações.

Ensino

Recebe estudantes de graduação das diversas unidades acadêmicas da UFRJ. Por ano, oferece 200 novas vagas para o Programa de Residência Médica e 31 vagas para Residência Multiprofissional em Saúde. Campo de treinamento e formação de 1.795 alunos de graduação e pós-graduação, além de 333 residentes. A Residência Médica do HUCFF é uma das mais procuradas do país. O concurso para 2012 teve 2.230 candidatos inscritos para 206 vagas. Entre os cursos mais procurados estão o de Clínica Médica e Cirurgia Geral.

Pesquisa

O HUCFF abriga importantes laboratórios onde são desenvolvidas produções científicas e publicação de artigos. As recentes conquistas no setor de pesquisa são uma prova de que o hospital tem levado a sério o compromisso de garantir mais qualidade de vida a seus pacientes. É conhecido como um dos principais pólos de produção e disseminação de conhecimento saúde no estado e no país, além de conquistar crescente projeção internacional.