TCC de aluna da residência multiprofissional do HUCFF é premiado em dois eventos

CCIH reduzidaO trabalho de conclusão de curso (TCC) da residência multiprofissional da enfermeira Raquel Pereira Batista rendeu dois prêmios de primeiro lugar: um concedido pelo Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia e outro pela Infusion Nurses Society.

Durante três meses, Raquel listou 2916 observações sobre acesso periférico e acompanhou 247 pacientes para a elaboração do trabalho “Auditoria de indicadores de manutenção da terapia intravenosa periférica nos setores de internação clínica”, que teve a orientação da enfermeira Cláudia Regina da Costa de Souza, da Coordenação de Infecção Hospitalar (CCIH).

Foram dois prêmios: no 1º Simpósio de Terapia Intravenosa, realizado pela Coordenação de Ensino e Pesquisa do Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia – Jamil Haddad (Into/MS), no dia 16 de outubro de 2015, e no VI Simpósio de Terapia Infusional e II Simpósio Internacional de Terapia Infusional – INS Brasil, em 8 e 9 de abril desse ano, no Instituto de Radiologia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HCFMUSP). O trabalho também foi apresentado na Semana de Enfermagem do HUCFF.

Para a orientadora Cláudia Regina, o TCC pode contribuir para o atendimento no HUCFF: “por meio dessas conclusões, podemos melhorar a qualidade dos processos e a segurança do paciente”. Para Raquel, o trabalho foi gratificante: “Fiquei muito feliz com o resultado. O trabalho não foi só teórico e a residência contribuiu para a minha formação acadêmica e profissional”, finaliza ela.

Luta Antimanicomial: fundamental é oferecer tratamentos melhores

Na semana em que se comemora o Dia da Luta Antimanicomial, a tendência é que as mobilizações pelo fim dos manicômios seja mais intensa, chamando a atenção da população para a data.

“A importância do dia 18 de maio é manter a referência da luta antimanicomial, para que ela não seja circunscrita a apenas um grupo. Ninguém é a favor de asilo psiquiátrico. O que temos que fazer é oferecer recursos de melhor qualidade. Assim as pessoas naturalmente migrarão para tratamentos melhores”, avalia o chefe do serviço de psiquiatria médica do HUCFF, professor Marco Antônio Alves Brasil.

Para enfrentar o problema, ele defende que haja um atendimento mais humano evitando a internação e, quando ela for inevitável, que o paciente fique no menor tempo possível. Além disso, ele também considera fundamental que haja unidades psiquiátricas dentro dos hospitais gerais, o que nem sempre acontece.

“O paciente mental não sofre só da mente, também precisa de outros recursos hospitalares comuns aos demais, como emergência e ambulatório. Um sintoma psiquiátrico não é sinônimo de doença psiquiátrica. Existem outras patologias que têm manifestações psiquiátricas. Embora haja o estigma com relação a esse tipo de paciente e uma resistência pela população com tais doentes, o que percebemos, pela experiência que temos no HUCFF, é que ela desaparece rapidamente. Temos uma unidade psiquiátrica no hospital e não há resistência”, argumenta.

Entre os casos internados, o psiquiatra explica que, normalmente, o perfil é de pacientes crônicos, psicóticos, esquizofrênicos, bipolares e sem sustentação familiar.

“Muitos ficaram esquecidos no manicômios, que incharam e diminuíram a qualidade do atendimento. Assim, eles acabaram por asilar, muitas vezes em más condições, e sem a atenção terapêutica necessária”, finaliza.

HUCFF não está doando leite

Estão repassando, via whatsapp, a informação de que o núcleo de alergia do HU tem estoque de leite Nan Soy prestes a vencer disponível para a população. Essa notícia, no entanto, não é verdadeira. Por isso, pedimos que ninguém se dirija ao hospital em busca do alimento, não repasse a mensagem e, se puderem, alertem que a notícia não é verídica.

HUCFF celebra missa em homenagem ao professor Clementino Fraga Filho

reduzida missaUma missa de sétimo dia foi realizada, no último dia 18 de maio, na portaria principal do HUCFF, para agradecer pela vida do professor que deu origem à instituição, Clementino Fraga Filho.

O padre Thiago Azevedo, que realizou a cerimônia, ressaltou a importância do médico em vida e para a posteridade: “O homem pode se tornar eterno diante de Deus, pela sua alma, mas também nesta vida, por meio de seus atos. E foi isso que o doutor Clementino Fraga Filho fez no seu exercício da medicina”, afirmou.

Já o filho do fundador do HUCFF, Eduardo Fraga, lembrou a frase do pai, escrita na abertura do livro que narra a implantação do HUCFF: “A vida de uma instituição depende de muitas vidas que a ela se dedicam”.

Por fim, o atual diretor-geral do Hospital, professor Eduardo Côrtes, lembrou o grande mestre que foi Clementino, e com quem, mesmo tendo pouca convivência, aprendeu muito: “A universidade precisava se modernizar e ele agregou pessoas que acreditavam na ideia. Ele trouxe o hospital para dentro da faculdade quando tais instituições não tinham a cultura de administrá-los. Muitos trabalhos foram realizados por causa do HUCFF, vidas foram salvas. Esse é o legado que ele nos deixa”, concluiu Côrtes.

Edital para mestrado e doutorado do Programa de Pós-Graduação em Anatomia Patológica

De 23 a 25 de maio acontece a inscrição para o processo de seleção aos cursos de mestrado e doutorado do Programa de Pós-Graduação em Anatomia Patológica. São seis vagas para mestrado e quatro para doutorado. As inscrições devem ser realizadas na secretaria da Pós-Graduação em Anatomia Patológica, localizada no HUCFF, das 9h às 12h. 

Assistência

Atende 42 especialidades médicas e 23 programas em alta complexidade. Possui um Programa de Transplante credenciado no Sistema Nacional de Transplante do Ministério da Saúde, para transplantar rim, fígado, córnea e medula óssea. Tem capacidade instalada atual de 250 leitos, com potencial para até 450 leitos ativos, na dependência do resgate de áreas não utilizadas e investimento em recursos humanos. Realiza por mês cerca de 20 mil consultas ambulatoriais, 450 cirurgias, e 700 internações.

Ensino

Recebe estudantes de graduação das diversas unidades acadêmicas da UFRJ. Por ano, oferece 200 novas vagas para o Programa de Residência Médica e 31 vagas para Residência Multiprofissional em Saúde. Campo de treinamento e formação de 1.795 alunos de graduação e pós-graduação, além de 333 residentes. A Residência Médica do HUCFF é uma das mais procuradas do país. O concurso para 2012 teve 2.230 candidatos inscritos para 206 vagas. Entre os cursos mais procurados estão o de Clínica Médica e Cirurgia Geral.

Pesquisa

O HUCFF abriga importantes laboratórios onde são desenvolvidas produções científicas e publicação de artigos. As recentes conquistas no setor de pesquisa são uma prova de que o hospital tem levado a sério o compromisso de garantir mais qualidade de vida a seus pacientes. É conhecido como um dos principais pólos de produção e disseminação de conhecimento saúde no estado e no país, além de conquistar crescente projeção internacional.