Combate e Prevenção à Hanseníase

news 46O Dia Mundial de Combate e Prevenção à Hanseníase é comemorado em 24 de janeiro como um alerta para o diagnóstico precoce e divulgação do tratamento que é oferecido gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS). O Hospital Universitário Clementino Fraga Filho (HUCFF/UFRJ) é um centro de referência em diagnóstico, tratamento e reabilitação de portadores de hanseníase e possui um programa multidisciplinar de reabilitação da doença que atende cerca de 100 pacientes por mês por meio de uma equipe qualificada de professores, técnicos e alunos dos serviços de Dermatologia, Fisioterapia, Terapia ocupacional, Ortopedia e Serviço Social.

De acordo com a dermatologista do hospital, dr. Maria Leide, a doença afeta predominantemente a pele e nervos periféricos, tendo como sintoma principal a dormência nas extremidades (pés e mãos) e ou em áreas da pele, com ou sem manchas esbranquiçadas ou avermelhadas. Além disso, é de extrema importância identificar precocemente a doença, pois quanto mais cedo for a descoberta e o tratamento mais fácil será a cura, além de evitar as sequelas físicas e sociais.

Sobre a doença
Causada por um bacilo denominado Mycobacterium leprae, a doença é infecciosa e contagiosa, não é hereditária e sua evolução depende de características do sistema imunológico da pessoa que foi infectada.

Prevenção
A prevenção pode ser realizada por meio do exame dermato-neurológico e aplicação da vacina BCG nas pessoas que moram com um portador da doença.

Sintomas
Os principais sintomas são: sensação de formigamento, manchas brancas ou avermelhadas, dormência ou fisgada nas extremidades, perda da sensibilidade ao calor, frio, dor e tato, redução da força muscular, entre outros.

Tratamento
A hanseníase tem cura e o tratamento é conhecido como a poliquimioterapia, realizado pela ingestão de dois ou três medicamentos via oral.

 

Febre Chikungunya

News Pesquisas recentes revelam que foram verificados mais de 2 mil casos de transmissão do vírus chikungunya no Brasil em 2014. A enfermidade trata-se de uma nova ameaça à saúde da população brasileira, principalmente no período de chuvas, por ser tratar de uma doença viral muito parecida com a dengue e transmitida pelos mesmos mosquitos, sendo eles, o Aedes Aegypti infectado e o Aedes Albopictus.

 De acordo com o infectologista do Hospital Universitário Clementino Fraga Filho (HUCFF), dr. Celso Ramos, ao contrário da dengue, a doença raramente causa morte e os casos mais graves surgem com frequência em idosos, crianças, gestantes e pessoas com doença renal, hepática, cardíaca e pulmonar.

 

Sobre a doença
Embora o vírus chikungunya e o vírus da dengue sejam muito distintos, a avaliação clínica da das duas doenças é bastante semelhante, sendo difícil a sua diferenciação sem a realização de aoexames laboratoriais.

Diagnóstico
Os sintomas da febre chikungunya são similares aos da dengue, mas com dores mais fortes, principalmente nas articulações, que podem persistir por semanas ou meses, embora a doença febril em si dure de três a dez dias. Além disso, a temperatura é em geral mais alta do que no caso de dengue, acima de 39 °C e a ocorrência de manchas avermelhadas pelo corpo é mais frequente.

Tratamento
Assim como no caso da dengue e demais doenças virais, não existe tratamento específico, devendo o paciente permanecer em repouso, receber antitérmicos, manter-se hidratado e procurar alimentar-se. Em casos de persistência de dores articulares, ou seja, nos joelhos, mãos, pés, cotovelos, coluna dorsal, pode ser necessário o uso de anti-inflamatórios, a critério médico. Como as duas doenças são de fácil confusão, todo caso suspeito de chikungunya deve ser considerado também suspeito de dengue, e assim ser tratado, tentando evitar as complicações.

Prevenção
A prevenção é feita por meio do combate ao mosquito vetor, isto é, ao Aedes ægypti. Deve-se procurar impedir a sua proliferação em criadouros próximos ao domicílio, em geral, acúmulo de água parada em recipientes.

 

 

Dom Orani Tempesta leva mensagem de esperança e paz ao HUCFF durante Trezena de São Sebastião

news02O Hospital Universitário Clementino Fraga Filho teve uma manhã abençoada na última quinta-feira (8). O segundo dia da Trezena de São Sebastião foi marcado pela visita do arcebispo do Rio de Janeiro, Dom Orani João Tempesta e sua comitiva, que conversou com representantes da Direção Geral e celebrou uma missa na capela do 5º andar da unidade com o objetivo de levar a mensagem de Deus e reflexões do Ano da Esperança.

Com o tema "São Sebastião: Testemunha da Esperança", o arcebispo percorreu o Hospital da UFRJ com a imagem peregrina, abençoou funcionários e pacientes com suas palavras de esperança e paz e, ainda, tomou conhecimento do empenho da Direção Geral e de todos os profissionais de saúde em melhorar as condições de assistência à população, ensino e pesquisa da unidade hospitalar.

Durante celebração da missa na capela do 5º andar, o Cardeal Tempesta mencionou São Sebastião como um exemplo para toda a comunidade, pois o santo foi firme até o fim e, por isso, é preciso ter confiança e alegria de testemunhar o Evangelho. "Que esta visita da imagem missionária de São Sebastião aumente em nós a esperança para nunca desistirmos de anunciar o Reino de Deus pelo qual São Sebastião deu a própria vida", acrescentou o Cardeal.

A edição deste ano da Trezena de São Sebastião também celebra os 450 anos da cidade e como comemoração a imagem peregrina por todo o local durante o período de 13 dias, a contar da última quarta-feira (7) até o dia 20 de janeiro, dia do santo padroeiro. A peregrinação conta com visitas do Cardeal em mais de 90 lugares, entre comunidades dedicadas a São Sebastião, obras sociais e instituições públicas, de saúde e comunicação e será finalizada com a procissão e a Missa da arquidiocese e da cidade do Rio de Janeiro.

Dicas saudáveis para a ceia de fim de ano

 As festas de fim de ano estão chegando e com elas os pratos deliciosos que costumam ser servidos nas ceias de Natal e de Ano Novo. De acordo com a nutróloga do Hospital Universitário Clementino Fraga Filho (HUCFF), dr. Melanie Rodacki, é possível aproveitar as confraternizações sem ganhar peso e comprometer a saúde. Confira as dicas abaixo e prepare uma ceia saudável para toda a sua família.

Saladas leves e saborosas 

No Brasil, o Natal e o Ano Novo são celebrados no verão e, por isso, uma boa dica é iniciar a ceia com saladas leves e saborosas. As confraternizações não precisam colocar a perder todo esforço do ano em manter uma vida saudável. É Possível planejar uma ceia saudável trocando alimentos mais calóricos por outros mais leves, que são inclusive mais compatíveis com o clima da estação do ano. O salpicão, tradicionalmente feito com maionese, pode ser feito com uma mistura de iogurte natural integral adicionado à maionese habitual. Metade da maionese pode ser substituída por iogurte sem comprometer o sabor, sendo que a maionese utilizada pode ser a "light", o que torna o prato ainda mais leve.  Além disso, folhas e vegetais crus também podem trazer um gostinho especial para a ceia.

 Nozes, castanhas e amêndoas

Alimentos como nozes, castanhas e amêndoas são muito saudáveis, ricos em gorduras insaturadas, porém extremamente calóricos. O ideal é ingerir em pequenas quantidades. Por isso, misture-os com frutas (frescas e/ou secas) ou arrume um espaço para eles nas saladas. É importante lembrar que a composição da castanha portuguesa é diferente das demais castanhas, sendo rica em carboidratos e pobre em gorduras de qualquer tipo. Sua ingestão pode representar um aumento da glicose no sangue em pessoas com diabetes. No entanto, servir as nozes ou castanhas com a casca é a grande dica, pois limita a ingestão, já que quebrar a casca é difícil e requer trabalho.

 O prato principal

 Para o prato principal, as melhores opções são peru e bacalhau. Na preparação do peru, o ideal é retirar a pele e evitar temperos prontos, ricos em glutamato monossódico e conservantes químicos. É sempre interessante preferir o peito, ao invés da coxa ou sobrecoxa, que são regiões mais ricas em gordura. O bacalhau deve ser preparado de forma simples, com vegetais e azeite. Neste caso, é importante evitar o uso excessivo de azeite, o que é comum no preparo, e retirar o sal com antecedência. O excesso de sal pode ser um problema especialmente nos pacientes com hipertensão arterial. Além disso, o bacalhau preparado com cremes ricos em gordura também deve ser evitado. Já o presunto deve ser evitado por ser rico em gordura e sódio. O chester, apesar de ser uma carne magra, é uma carne proveniente de um animal que recebeu alimentos ricos em hormônios para crescer, o que pode ser prejudicial à saúde. O pernil e o lombo são carnes mais gordas, devendo ser ingeridas com moderação. Caso sejam utilizados, devem ser evitados produtos pré-temperados, disponíveis no mercado.

 Acompanhamentos de sucesso

Para os acompanhamentos, recomenda-se preferir alimentos assados ao invés de fritos e evitar o excesso de gordura no preparo dos alimentos. Sendo assim, a batata palha pode ser substituída por uma batata assada. A farofa, tradicional no Natal, pode ser feita com pouca gordura e sem adição de carne de porco (ex: linguiça). O arroz pode ser misturado com brócolis, que é um excelente acompanhamento para peixes e aves. Arroz, batata e farofa (carboidratos) devem ser ingeridos com moderação, em pouca quantidade, e combinados com saladas leves, vegetais e uma opção proteica como o bacalhau ou peru, por exemplo.

 Escolha a saúde como sobremesa

 Para a sobremesa, a dica é optar pelos doces de frutas e incluir uma salada de frutas entre as opções da mesa. Uma compota de frutas assadas sem açúcar pode ser combinada com sorvete light e a tradicional rabanada pode ser assada ao invés de frita.  Já o panetone já está sendo vendido em versão light e/ou diet em diversos estabelecimentos. Aliás, outra opção para famílias que gostam de cozinhar é fazer um panetone em casa, com menos açúcar, gorduras e conservantes químicos.

 Brinde saudável

 Para uma ceia saudável, também é importante evitar o excesso de ingestão de bebidas alcóolicas. Afinal, devemos lembrar que é tempo de confraternização e alegria, o que pode ser feito com moderação, sem comprometer a saúde.  Coloque as recomendações do HUCFF em prática e tenha Boas Festas!

 

 

HUCFF retoma cirurgia bariátrica

cirurgia baritricaHospital Universitário Clementino Fraga Filho (HUCFF) retomou nos últimos meses a realização da cirurgia bariátrica. O procedimento cirúrgico, que estava suspenso há aproximadamente 3 anos no hospital, tem a finalidade de realizar o processo de redução do estômago e funciona como um tratamento para a obesidade mórbida, o que também pode contribuir para prevenção de doenças clínicas descompensadas, entre elas, hipertensão arterial, apneia do sono, diabetes e doenças cardiovasculares.

De acordo com o dr. Antônio Augusto Peixoto, coordenador e chefe de serviço de cirurgia geral do Hospital Universitário Clementino Fraga Filho (HUCFF), esse tipo de cirurgia é indicado para pacientes com o índice de massa corporal igual ou superior a 40, que são portadoras de obesidade mórbida e que não tenham obtido sucesso no emagrecimento por meio de outros tipos de tratamentos.

Cirurgia bariátrica
A cirurgia bariátrica é considerada um procedimento de alta complexidade que possui diferentes tipos, que geralmente, são escolhidos pelos médicos de acordo com cada caso. Além disso, é considerada um dos tratamentos mais efetivos no combate à obesidade no país e não costuma ser indicado aos pacientes idosos (acima de 70 anos) e aqueles que possuem graves problemas de saúde, como as doenças cardiovasculares.

Cuidados antes e depois da cirurgia
O sucesso da cirurgia bariátrica depende dos cuidados que o paciente deve ter antes e depois do procedimento. A preparação acontece entre 3 e 4 meses que antecede a cirurgia e envolve a realização de uma série de exames e consultas laboratoriais para acompanhamento do caso. Já no pós- operatório, recomenda-se ao paciente que fique internado durante o período de 3 dias para evitar complicações. Além disso, deve-se seguir as recomendações médicas, entre elas, a adoção de uma dieta restritiva e um estilo de vida mais saudável.

Assistência

Atende 42 especialidades médicas e 23 programas em alta complexidade. Possui um Programa de Transplante credenciado no Sistema Nacional de Transplante do Ministério da Saúde, para transplantar rim, fígado, córnea e medula óssea. Tem capacidade instalada atual de 250 leitos, com potencial para até 450 leitos ativos, na dependência do resgate de áreas não utilizadas e investimento em recursos humanos. Realiza por mês cerca de 20 mil consultas ambulatoriais, 450 cirurgias, e 700 internações.

Ensino

Recebe estudantes de graduação das diversas unidades acadêmicas da UFRJ. Por ano, oferece 200 novas vagas para o Programa de Residência Médica e 31 vagas para Residência Multiprofissional em Saúde. Campo de treinamento e formação de 1.795 alunos de graduação e pós-graduação, além de 333 residentes. A Residência Médica do HUCFF é uma das mais procuradas do país. O concurso para 2012 teve 2.230 candidatos inscritos para 206 vagas. Entre os cursos mais procurados estão o de Clínica Médica e Cirurgia Geral.

Pesquisa

O HUCFF abriga importantes laboratórios onde são desenvolvidas produções científicas e publicação de artigos. As recentes conquistas no setor de pesquisa são uma prova de que o hospital tem levado a sério o compromisso de garantir mais qualidade de vida a seus pacientes. É conhecido como um dos principais pólos de produção e disseminação de conhecimento saúde no estado e no país, além de conquistar crescente projeção internacional.